Eflúvio Telógeno: Você sabe as causas mais comuns para queda de cabelo?

Dra. Patrícia Farah

O aumento na queda dos fios de cabelo pode ocorrer por diversos motivos, mas o sintoma merece atenção quando persiste por mais de três meses. Tire todas as suas dúvidas sobre o tema neste artigo!

A queda dos fios de cabelo é  um processo normal do nosso organismo – perdemos, em média, 100-120 fios por dia. No entanto, algumas vezes, é possível perceber um aumento dessa queda diária ao observar a quantidade de fios que fica ralo do chuveiro após um banho, na escova após pentear ou até mesmo só de passar as mãos no cabelo. Neste caso, é importante investigar suas causas.

 

Existem duas condições comuns para a queda de cabelos. A alopécia androgenética, conhecida popularmente como calvície, e há também o eflúvio telógeno – frequente principalmente nas mulheres.

O que é eflúvio telógeno?

O eflúvio telógeno se caracteriza por um enfraquecimento temporário do cabelo, causando o aumento na queda dos fios. O eflúvio se divide em dois tipos: agudo e crônico. 

 

Eflúvio telógeno agudo: está  associado a algum evento que aconteceu três meses antes do início da queda. Esses eventos, ou gatilhos, convertem um percentual maior de fios para a fase de queda. Sendo assim, perde-se 200-300 fios, dependendo do paciente e da causa do eflúvio.  

Problemas e gatilhos que fazem o cabelo cair

Os eventos mais associados ao eflúvio telógeno agudo são: pós-parto, febre, infecção aguda, sinusite, pneumonia, gripe, dietas muito restritivas, doenças metabólicas ou infecciosas, cirurgias, especialmente a bariátrica, por conta da perda de sangue e do estresse metabólico, além do estresse. 

 

Algumas medicações também podem desencadear o problema. Tudo isso pode interferir na proporção dos fios na fase de queda. 

 

Eflúvio telógeno crônico: é semelhante à versão aguda com episódios de queda acentuada. Porém, ocorre de forma cíclica, uma ou duas vezes por ano, ou a cada dois anos, dependendo do paciente. 

 

Conforme o tempo passa, o paciente fica com o cabelo mais volumoso na base e menos volumoso no comprimento. Assim, o cabelo também fica mais curto e com o “rabo de cavalo” mais fino. 

 

Se o paciente só tiver essa condição, não ficará com o cabelo ralo no couro cabeludo. Porém, seu problema pode estar associado a outras condições que causam rarefação dos fios. 

 

O eflúvio telógeno crônico nem sempre tem causa definida, mas sabe-se que está associado a doenças autoimunes, dentre elas, a mais comum é a tireoidite de Hashimoto.

Quando procurar o médico para tratar a queda de cabelo?

O aumento na queda dos fios de cabelos deve sempre ser comunicado ao seu médico dermatologista – especialmente se persistir por mais de três meses ou ocorrer com frequência. 

 

Há casos que podem ser resolvidos com cuidados simples ou medicações estimuladoras do crescimento capilar.   

 

Porém, por vezes, há a necessidade de tratar alguma possível doença de base associada. Ou, ainda,  é preciso descobrir algum fator que possa estar associado à queda, como na área alimentar, seja por uma deficiência de ferro ou vitaminas, ou em razão de dietas hiperproteicas.

 

Com informações: SBD Doenças e Problemas  – Eflúvio Telógeno

—-

Quer saber mais sobre queda de cabelos? Clique aqui e agende sua avaliação! 

WhatsApp